A criança brinca com seu chocalho frente ao espelho. Movimenta-se de diferentes modos e a criança do espelho devolve-lhe com exatidão todos os seus gestos e meneios.

A criança se aproxima do espelho e a criança do espelho se aproxima da criança. Então, ela larga o chocalho e, fascinada por sua coleguinha tão solidária em brincadeiras, avança em sua direção até bater com o nariz no espelho. A criança que brinca com a criança do espelho recua assustada, mas, ao reparar a marca que seu nariz deixou no espelho, descobre extasiada: sou eu mesma.

Histórias Curtíssimas, Jayme Teixeira